A influência da migração francesa na construção do territorio de Benevides, Pará

No Brasil, a maioria da imigração envolveu uma população expropriada e empobrecida. No caso dos imigrantes franceses para colônia de Benevides, as famílias tinham um bom padrão de vida, viviam da agricultura e da produção de vinho, mas em virtude da desaparição do campesinato nos campos europeus, muitas famílias européias emigraram para o Brasil, sendo que as famílias que chegaram-se para o núcleo colonial de Nossa Senhora do Carmo, como as famílias francesas, trouxeram técnicas de agricultura moderna para trabalhar com o benefíciamento da cana-deaçúcar na colônia, obtendo ótimos lucros. Veja mais

Benevides – pequeno refúgio do centro urbano de Belém

A origem de Benevides data do final do século XIX, quando a localidade foi incluída na política administrativa do Império de povoar a Zona Bragantina incentivando a criação de núcleos agrícolas. Quem fundou a colônia foi o cearense Francisco Sá e Benevides. Na época era conhecida como Núcleo Colonial de Nossa Senhora do Carmo, sendo transformada em Vila no ano de 1899. A maioria dos imigrantes europeus que se deslocou para a colônia era de franceses, com destaque para as famílias Fanjas e Begot, primeiras a se instalarem no Núcleo. Veja mais

Benevides no Pará : a família Begot, egressa da Comuna?

Veja aqui

Pelotas : um prédio para a cultura francesa

Artigo do Diário Popular, do 06/07/2009, sobre o projeto de museu da etnia francesa em Pelotas. Veja aqui

Os Suportes da Memória Social na Colônia Francesa de Santo Antônio em Pelotas-RS

Outro artigo de Leandro Ramos Betemps sobre a colônia francesa Santo Antonio, perto de Pelotas. Detalhes do modo de vida destes imigrantes, as atividades economicas deles a travez da historia . Veja mais

Influência francesa no patrimônio cultural e construção da identidade brasileira: o caso de Pelotas

Na cidade de Pelotas, localizada no extremo sul do Brasil, a influência européia, principalmente a francesa, também foi bastante grande. Com freqüência, se faz referência a este fato na bibliografia histórica do Rio Grande do Sul. “É regra geral caracterizá-la através de conceitos como riqueza, opulência, refinamento, elegância, cultura e até aristocracia. A razão para isso é atribuída ao desenvolvimento nos seus arredores, da indústria do charque, durante o longo período que vai de 1779 aos primeiros decênios do século XX. As charqueadas, fazendo fortunas, condicionaram o florescimento de práticas e valores sócio-culturais que podem ser rotulados

reservatório de ferro importado da França

simplificadamente como de urbanidade e intelectualidade”. Veja mais

As invasões Francesas no Brasil

Até a criação do governo-geral os franceses eram apenas contrabandistas: procuravam os trechos menos defendidos da costa brasileira para a exploração de produtos da colônia, principalmente pau-brasil. Muito hábeis, sabiam conquistar a amizade dos índios que os ajudavam nesse comércio e até nas lutas contra os portugueses. Veja mais

Entradas Mais Antigas Anteriores