Entre o claro e o escuro: Roger Bastide e Claude Lévi-Strauss

Roger Bastide e Claude Lévi-Strauss são pensadores exemplares para as ciências sociais e constituem parâmetros relevantes para compreender a teoria social formulada no século XX. Os dois autores percorreram caminhos distintos e também próximos: o período passado no Brasil, a dedicação a determinados temas e objetos de estudo, a visibilidade, o estilo, a inserção e a consagração no campo acadêmico e intelectual.

Bastide chegou ao Brasil em março de 1938 com o objetivo de passar três anos como professor de sociologia na vaga deixada por Lévi-Strauss na Universidade de São Paulo (USP). As razões que levaram Bastide a aceitar o convite para lecionar tão longe de seu país foram certamente as mesmas que motivaram vários outros professores franceses a trabalhar no Brasil…. Leia mais
Anúncios

1 comentário (+adicionar seu?)

  1. marcelobcaetano
    jun 27, 2010 @ 00:50:00

    Muito bom este texto. Já que estamos colocando Bastide e LS lado a lado, temos que ter em mente como era o diálogo entre os dois: Bastide era leitor de LS, mas a recíproca não é verdadeira. Bastide estudava culturas sincréticas, misturas e trocas culturais. Para o estruturalismo de LS, sistemas mais “fechados” eram mais interessantes. Talvez isto explique o fato dele olhar para os povos originário do país e não para negros e europeus que aqui chegaram e se misturaram.
    De qualquer forma temos branco, índio e negro muito bem cobertos e refletidos pelos dois.

%d blogueiros gostam disto: