Renato Godá

Renato Godá é um escritor de músicas endiabradamente românticas. Um cantor que leva ao palco a atmosfera esfumaçada de um cabaré onde o jazz, o folk, o gipsy e a chanson francesa convivem entre a elegância e a vulgaridade.

“Não faço cerimônia/Não Sou um bom Partido/Tendo para os vícios/ Posso causar desgosto/Sou um pervertido /Livre leve e solto/ Um vagabundo astuto/ Um vira-lata escroto”. Dessa forma descarada, Godá se apresenta em uma de suas composições, Bom Partido, que não deixa dúvidas sobre quem é esse paulistano que depois de transitar pelo punk rock e sons eletrônicos no passado encontrou uma sonoridade própria e original.

Depois de um festejado EP lançado em 2009, Godá lança agora um novo álbum, “Canções para Embalar Marujos”, produzido pelo talentoso Plinio Profeta, que carrega no currículo um Grammy Latino por seu trabalho com Lenine. Seguindo o estilo despretensioso de Godá, originalmente a gravação das 13 faixas de seu mais novo álbum, “Canções para Embalar Marujos”, aconteceu em dois dias de estúdio. Com uma banda de primeira, a gravação foi feita ao vivo, num clima foi de improviso, para chegar uma sonoridade natural e crua.

Os figurinos dos shows, que remetem às melhores épocas da cena jazz de Nova York, os instrumentos acústicos (piano, acordeom, contrabaixo, banjo, violino, bateria e guitarras) e as referências musicais de Renato Godá estranhamente parecem soar como novidade nos dias de hoje. “Como compositor gosto de andar na corda bamba entre o brega e cult”, diz Godá, que assume as influencias musicais de Leonard Cohen, Serge Gainsbourg e da musica cigana do Leste Europeu.

As canções de Renato Godá conquistam público cativo por onde passam em shows pelo Brasil, pela América Latina e na web. Em maio de 2009 o cantor fez sue primeira turnê Européia que passou por Londres e Paris.

Veja mais no myspace, no blog e no site oficial de Renato Godá.

Anúncios

Comentários desativados.

%d blogueiros gostam disto: